O mau vidraceiro

A viral Ebook O mau vidraceiro release O mau vidraceiro cujo t tulo foi retirado de uma das narrativas d

A viral Ebook O mau vidraceiro release O mau vidraceiro cujo t tulo foi retirado de uma das narrativas de Baudelaire nos Pequenos poemas em prosa uma reuni o de 61 contos em que o artista pl stico consagrado e escritor premiado Nuno Ramos matura o dom nio dos seus meios liter rios, levando a arte fundamentalmente moderna da micronarrativa a um grau de apuro poucas vezes alcan ado Se nas dimens es de partO mau vidraceiro cujo t tulo foi retirado de uma das narrativas de Baudelaire nos Pequenos poemas em prosa uma reuni o de 61 contos em que o artista pl stico consagrado e escritor premiado Nuno Ramos matura o dom nio dos seus meios liter rios, levando a arte fundamentalmente moderna da micronarrativa a um grau de apuro poucas vezes alcan ado Se nas dimens es de parte dos textos o livro pode ser comparado, em termos brasileiros contempor neos, aos de um Dalton Trevisan, a prosa de Nuno Ramos se diferencia, primeiro, por um maior rigor textual Diferencia se tamb m por uma tem tica mais variada, que vai da realidade mais imediata metaf sica, passando pela pol tica Ainda, traz um estilo multiforme, a fim de dar conta de tal variedade assim, cenas urbano existenciais como A gl ria convivem com belas prosas poetizadas como Ningu m , que por sua vez convivem com a mis ria escatol gica de A velha Tamb m nas dimens es h varia o, pois os contos podem ser verdadeiramente min sculos, com apenas um par grafo, ou conter extensas tr s ou quatros p ginas O que n o varia a referida precis o textual Nuno Ramos um autor atento s min cias do estilo, assim como sua fluidez Tais elementos garantem aos seus contos caracter sticas de uma pe a de prosa ficcional cujo todo pode e deve ser apreendido pelo leitor em seu conjunto, como, no campo liter rio, um poema, ou no campo escult rico, a forma volume de um ovo Tudo somado, vasta genealogia dessa arte essencialmente moderna que a micronarrativa Baudelaire, Tchecov, Kafka, Cort zar, Trevisan etc , com suas caracter sticas velocidade e fragmentariedade mas que tamb m inclui a antiga arte das pequenas f bulas e par bolas tradicionais , deve se ainda acrescentar, no caso de Nuno Ramos, o nome de Gustave Flaubert, o escritor da palavra exata le mot juste , que esculpia cada par grafo como um poeta apura um verso, sem por m perder a necess ria referencialidade da prosa, linguagem realista por excel ncia.. Good Ebook O mau vidraceiro

  1. Nuno Ramos nasceu em 1960, em S o Paulo, onde vive e trabalha Formado em filosofia pela Universidade de S o Paulo, pintor, desenhista, escultor, escritor, cineasta, cen grafo e compositor Come ou a pintar em 1984, quando passou a fazer parte do grupo de artistas do ateli Casa 7 Desde ent o tem exposto regularmente no Brasil e no exterior Participou da Bienal de Veneza de 1995, onde foi o artista representante do pavilh o brasileiro, e das Bienais Internacionais de S o Paulo de 1985, 1989, 1994 e 2010 Em 2006, recebeu, pelo conjunto da obra, o Grant Award da Barnett and Annalee Newman Foundation.Dente as exposi es individuais que fez, destacam se, em 2010, as produzidas na Gallery 32, em Londres, Inglaterra no Galp o Fortes Vila a, em S o Paulo, Brasil e no MAM Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Brasil Em 2009, apresenta Mar morto Soap Opera 2 na Galeria Anita Schwartz, no Rio de Janeiro Em 2008, participa do projeto Respira o, da Funda o Eva Klabin, no Rio de Janeiro, com a exposi o Pergunte ao No mesmo ano, Asa branca, Funarte, Belo Horizonte, Brasil Fodasefoice, Galp o Fortes Vila a Bandeira branca, CCBB Centro Cultural Banco do Brasil, Bras lia, Brasil, e Galeria Bernardo Marques, Lisboa, Portugal Em 2006, Ai de mim , Galeria Fortes Vila a, S o Paulo Vai, vai, Instituto Tomie Ohtake, S o Paulo Em 2004, Morte das casas, CCBB, S o Paulo e Pinacoteca do Estado de S o Paulo Em 2003, O que s o as horas , MAP Museu de Arte da Pampulha, Belo Horizonte Em 2002, Luz negra, Galeria Fortes Vila a, e Terra da sede, Centro Universit rio Maria Ant nia, S o Paulo Em 1999 e 2000, realizou a primeira retrospectiva de sua obra, apresentada no Centro de Artes H lio Oiticica, Rio de Janeiro, e no MAM, S o Paulo, respectivamente Ainda em 2000, ParaGoeldi 2, Casa Vermelha, Curitiba, Brasil Em 1996, As vezes, reconstru o da galeria da Universidade Federal do Esp rito Santo, em Vit ria, Brasil, com modelo 10% menor que o original e em seu pr prio interior e ParaGoeldi, AS Studio, S o Paulo Em 1995, 46 Bienal de Veneza, It lia Milky Way, Brooke Alexander Art Gallery, Nova York, EUA Em 1994, Montes, Sesc Pomp ia, S o Paulo No final de 1992, apresenta, na Casa de Cultura Mario Quintana, em Porto Alegre, 111, obra produzida sob o impacto do assassinato de 111 presidi rios na invas o da Casa de Deten o do Carandiru, em S o Paulo, ocorrida em outubro daquele ano Tamb m em 1992, exp e no Centro de Estudos Brasileiros, Assun o, Paraguai.Nas exposi es coletivas de que participou destacam se, em 2010, a XXIX Bienal Internacional de S o Paulo Em 2008, De perto e de longe Paralela 08, Liceu de Artes e Of cios de S o Paulo e God Is Design, Galp o Fortes Vila a Em 2005, 5 Bienal do Mercosul, Porto Alegre, 29 Panorama de arte brasileira, MAM, S o Paulo Em 2004, Afinidades e diversidades, Projeto Carlton Encontro com Arte, S o Paulo exposi o conjunta com o americano Frank Stella, influ ncia importante em sua obra Em 2003, Novas aquisi es 2003 Cole o Gilberto Chateubriand, MAM, Rio de Janeiro, e Marcantonio Vila a Passaporte contempor neo, MAC USP Museu de Arte Contempor nea da Universidade de S o Paulo Em 2000, O trabalho do artista, Instituto Ita Cultural, S o Paulo e a exposi o itinerante Ultrabaroque Aspects of Post Latin American Art, Museum of Comtemporary Art, San Diego, EUA Museu de Arte de Porto Rico, Porto Rico Chicago Cultural Center, Chicago, EUA Atarazanas, Val ncia, Espanha Forth Worth Museum of Modern Art, S o Francisco, EUA Museum of Modern Art, Walker Art Center, Mine polis, EUA Em 1999, Por que Duchamp , Pa o das Artes, S o Paulo Em 1997, Fronteiras, Ita Cultural, S o Paulo Em 1994, M cula, XXII Bienal Internacional de S o Paulo Em 1992, Latin American Artists of the 20th Century, Sevilha, Espanha Centre Pompidou, Paris, Fran a Col nia, Alemanha MOMA Museum of Modern Art, Nova York, EUA Em 1989, XX Bienal Internacional de S o Paulo Em 1988, Brasil j

844 Reply to “O mau vidraceiro”

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *